Livro “El país de los poetas”: alunos e poesia em espanhol

Mergulhando no mundo da Literatura na língua espanhola, foi publicado em Madrid o livro El país de los poetas que reúne trabalhos de alunos do Band e de escolas da Argentina e Espanha. A publicação conta com cinco poemas produzidos por seis alunas do Colégio que hoje estão na 2.a série do Ensino Médio.

espanhol1

aluna Caroline Chaim

Para isso, em 2014 – quando estavam no 8.o ano do Ensino Fundamental – os alunos enviaram seus poemas para o concurso literário internacional “El Quijote nos une” que reunia escolas da Espanha e Argentina, além do Band – único representante do Brasil. Os alunos se propuseram a um desafio nada fácil: escrever poemas em uma língua estrangeira competindo com pessoas fluentes no idioma.

aluna Clara Santos

aluna Clara Santos

No livro estão presentes poemas das alunas da 2.a série do Ensino Médio, Marina Maestre, Caroline Chaim, Clara Santos, Isabela Libonati, Lívia Betito e Angélica Marucci.

A aluna Caroline Chaim, conta que enquanto elaborava o poema foram necessárias diversas visitas ao dicionário para checar palavras e conjugações. “Não foi fácil. Aprendi que eu não posso desistir de algum projeto tão cedo e tenho que agarrar qualquer oportunidade no meu caminho porque pode dar muito certo”, comentou ela.

“Fico muito orgulhosa de como os alunos se relacionam com a língua espanhola. Incorporaram o saber literário no cotidiano para produzir literatura”, disse a professora de Língua Espanhola, Paula Araújo, que junto a professora de Língua Espanhola, Marília Pelissari, acompanhou os alunos durante o processo.

Este ano o concurso continua, dessa vez em sua 5.a edição, onde os alunos do 8.o ano do Ensino Fundamental trabalharão não apenas com poemas, mas também com outras modalidades artísticas como esculturas e pinturas.

Confira aqui os poemas presentes no livro.

Artes plásticas e literatura para aprender Espanhol

Para aprender a língua espanhola de um jeito diferente e divertido, alunos do 9.o ano do Ensino Fundamental produziram cartazes ilustrando os capítulos do livro “Relato de um náufrago”, de Gabriel García Márquez. As imagens criadas pelos alunos, além de expostas na biblioteca do Colégio, também foram reunidas em um e-book.

O projeto, realizado pela primeira vez com os alunos do 9.o ano, foi baseado numa técnica de leitura chamada “espejo mental”. Nela é necessário extrair do texto imagens e símbolos que expressem os aspectos mais relevantes do que foi lido. Assim, cada dupla ficou responsável por realizar um cartaz com um desenho, dois símbolos, uma citação e uma síntese. Tudo isso para complementar a compreensão do livro em espanhol e realizar um exercício de interpretação e de relação entre linguagem verbal e não verbal.

“Fazer algo diferente nos fez entender melhor tanto os capítulos quanto o vocabulário. Ao juntar o que foi lido com as imagens e símbolos, tudo ficou mais fácil”, comentou a aluna do 9.o ano do Ensino Fundamental, Luísa Shida.

A produção dos cartazes foi uma oportunidade também para que os alunos pudessem estudar a fundo os detalhes de cada capítulo que, às vezes, passam despercebidos. “Eles puderam realmente adentrar na história e trabalhar com outra linguagem. Foi muito eficiente”, disse a Coordenadora de Língua Espanhola, Rosemeire Silva que, em conjunto com a professora de Língua Espanhola, Luísa Martins, realizou o projeto. Além disso, a partir das apresentações, foi possível recontar a sequência do livro e ajudar os colegas a ter a mesma compreensão.

Para que todos possam ter acesso aos cartazes, também foi criado um e-book com os trabalhos. “É muito interessante porque a leitura foi transformada em uma imagem que agora, com a forma digital, será muito útil”, concluiu Rosemeire.

Programa Espanha 2018 iUn viaje inolvidable!

Foto programa Espanha

 

 

 

 

 

Certamente muitos se lembram do projeto España Inolvidable, não é mesmo? Carlos e Maria Alice numa perseguição ao famoso hombre del maletín… um projeto que propõe aos alunos do 8.o ano uma visita virtual por algumas das mais belas cidades espanholas. Agora, os alunos do Band, tenham ou não participado dessas aulas, terão a oportunidade de ver de perto a beleza desse país milenar.

Preparado especialmente para os alunos do Bandeirantes, o programa Inmersión al mundo universitario español oferece aos estudantes de 1.a e 2.a série de 2018 atividades nas cidades de Madri e Barcelona entre os dias 10 e 26 de janeiro de 2018. Essa viagem combina conhecimento, inspiração e diversão durante as férias de janeiro.

É importante ressaltar que todos os alunos que tenham algum conhecimento de Espanhol podem participar do programa, mesmo que não estejam estudando o idioma em 2017. Num programa exclusivo, faremos a ponte entre nossos estudantes e escolas referência em diferentes áreas de interesse: Arquitetura, Marketing, Gastronomia, Turismo e Administração em cada faculdade, assim como com profissionais de diferentes áreas do mercado.

Como se sabe, a Espanha é referência no ensino de Espanhol e possui escolas e universidades reconhecidas internacionalmente. Com aulas e visitas guiadas, sempre em espanhol, o programa possibilidade a chance de aprender temas relevantes do mundo acadêmico, profissional e cultural. A primeira visita será à Universidade Complutense de Madri, uma das mais prestigiadas da Espanha e do mundo. Por ela passaram, como alunos ou professores, sete dos oito espanhóis ganhadores do Prêmio Nobel. Além de outras excelentes escolas, ainda na capital espanhola, os estudantes poderão desfrutar de uma tarde no emblemático Cordon Bleu e ampliar, dessa forma, seu repertório gastronômico e cultural.

Além disso, os alunos do Band vão explorar as principais atrações turísticas de Madrid e Barcelona: Museo del Prado, Museo Reina Sofía, Estadio Santiago Bernabéu, passeio na neve na Sierra de Madrid, Parque Guell, Bairro Gótico, entre outras atividades. Além disso, serão quatro viagens para belíssimas cidades históricas: Toledo, Salamanca, Segovia e El Escorial.

Os interessados em conhecer melhor o programa ou fazer sua inscrição podem entrar em contato com o Departamento Cultural ou com o Departamento de Espanhol para receber maiores informações.

Departamento Cultural: cultural@colband.com.br (Ricardo Aguirre)

Departamento de Espanhol: quixote@colband.com.br (prof.a Rose)

 

 

DELE Maio de 2017: Inscrições abertas de 20 a 27 de março

DELEEstão abertas as inscrições para as convocatorias de mayo de 2017 dos exames DELE, Diplomas de Espãnol como Lengua Extranjera. Você pode fazer a sua inscrição até o dia 27/03. Todas as informações, ficha de inscrição, documentos necessários estão publicados nas salas virtuais do colégio no Moodle. A prova escrita será realizada no dia 13/05, das 9:00 às 13:00. Qualquer dúvida, procure a prof.a Rose, pelo e-mail quixote@colband.com.br.

Game de Espanhol é vencedor do Prêmio “ARede Educa”

O jogo Un Viaje Por América Del Sur, desenvolvido pelos Departamentos de Espanhol e Tecnologia Educacional, foi o vencedor do Prêmio ARede Educa na modalidade sociedade civil – games.

un-viaje-por-america-del-sur

“Desde 2000 nós já ensaiávamos alguns jogos com finalidade pedagógica. Contudo, apenas este ano nós conseguimos lançar um aplicativo que atendesse essa necessidade contemporânea de transpor o material didático em um meio digital. ”, comentou a Coordenadora de Tecnologia Educacional, Sílvia Vampré.

game_espanhol_premio2

O objetivo do jogo é seguir diversas pistas para encontrar a cuia e a bombila de chimarrão do bisavô do personagem principal. Dessa forma, o game fornece ao aluno um aprendizado lúdico e profundo da língua espanhola, além de monumentos e pontos históricos da Argentina e Uruguai.

“Com certeza o resultado foi extremamente gratificante e nos estimula ainda mais para que outros projetos floresçam. Acredito que nós conseguimos envolver os alunos dentro da história extrapolando o ensino da língua espanhola. ”, finalizou a Coordenadora de Espanhol, Rosemeire da Silva.

Exposição Gaudí: Barcelona, 1900 no Instituto Tomie Ohtake

gaudi1

 

 

 

 

Que tal aproveitar uma tarde das férias escolares para conhecer um pouco mais sobre Gaudí? A exposição Gaudí: Barcelona, 1900, realizada pelo Instituto Tomie Ohtake, apresenta uma ótima oportunidade para você se aproximar de algumas de suas obras, entre as quais está a Basílica da Sagrada Família, tão única na história da arquitetura.

A mostra, que estreou no Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) – Florianópolis, permanece em São Paulo até o início do mês de fevereiro e reúne, além de 71 obras do mestre catalão, 42 de outros artistas e artesãos contemporâneos a ele. Todo este acervo é fruto da seleção dos curadores Raimon Ramis e Pepe Serra, e dos empréstimos do Museu Nacional d´Art de Catalunya, do Museu del Temple Expiatori de la Sagrada Família e da Fundació Catalunya-La Pedrera.

Dessa maneira, o visitante pode compreender o contexto no qual se originou Gaudí, as personalidades que marcaram presença na transição do século XVIII ao XIX e as diferentes linguagens e técnicas artísticas das quais se utiliza o nosso protagonista. O fio condutor deste conjunto é o movimento modernista catalão que, impulsionado pela Revolução Industrial e as consequentes mudanças sociais e culturais europeias, encontra na classe burguesa a principal financiadora para um projeto de remodelação no plano urbanístico e no interior dos edifícios de Barcelona.

gaudi-2 gaudi-3Prepare-se para se impressionar no momento em que você se deparar com as fotos e réplicas da Casa Batló, da Casa Vicens, do Palau Güell e do Parc Güell. São tantas as formas, cores e variedades de materiais…E quanto à diversidade de colunas que sustentam a Basílica da Sagrada Família, já pensou que poderá conhecê-las? Mais do que isso, você poderá compreender como a “geometria regrada” de Gaudí resulta de uma perfeita harmonia entre a preocupação com a passagem da luz e com o olhar sobre a natureza.

 

Dica
O Núcleo de Cultura e Participação do Instituto Tomie Ohtake oferece uma série de atividades e experiências ligadas ao universo da exposição Gaudí: Barcelona, 1900, voltadas a diferentes públicos: visitas agendadas, espontâneas, encontro com educadores, ateliê de produção de pequenos cadernos artesanais e ainda, uma oficina de experimentos em arquitetura, na qual crianças e jovens podem explorar princípios da arquitetura na construção coletiva de maneira lúdica e participativa. Esta oficina acontecerá no dia 4 de fevereiro e para participar você precisa se inscrever através do telefone (11) 2245-1937. Mais informações no site www.institutotomieohtake.org.br.

Fonte: Instituto Tomie Ohtake

Exposição Gaudí: Barcelona, 1900

ONDE:  Instituto Tomie Ohtake (Av. Faria Lima, 201. Entrada pela R. Coropés— Pinheiros, São Paulo—).

QUANDO: até 5 de fevereiro de 2017. De terça a domingo, das 11 às 20 horas.

QUANTO: R$ 12. Estudantes pagam meia entrada mediante apresentação de carteirinha. Crianças até 10 anos e pessoas com deficiência tem entrada gratuita todos os dias. Às terças a gratuidade é para todos, mas é necessária a retirada de senha na bilheteria.

Maiores informações: (11) 2245-1900

 

Game de Espanhol é finalista do Prêmio “ARede Educa”

O jogo Un Viaje Por América Del Sur, desenvolvido pelo Departamento de Espanhol, é finalista do Prêmio ARede Educa na modalidade sociedade civil – games. Outros quatro jogos concorrem ao Prêmio que é destinado a educadores, estudantes, pesquisadores e gestores de instituições de ensino.

img_4430

O objetivo do jogo é seguir diversas pistas para encontrar a cuia e a bombila de chimarrão do bisavô do personagem principal. Dessa forma, o game fornece ao aluno um aprendizado lúdico e profundo da língua espanhola, além de monumentos e pontos históricos da Argentina e Uruguai.

Confira a lista dos finalistas clicando aqui.

Exposição “A valise mexicana”: imperdível

 guerra civil_muitas

 

 

 

 

O fotógrafo ou o contista sentem a necessidade de escolher e limitar uma imagem ou um acontecimento que sejam significativos, que não só valham por si mesmos, mas também sejam capazes de atuar no espectador ou no leitor como uma espécie de abertura… Cortázar, 1974

A voz da causa através das lentes: São Paulo recebe a exposição A Valise Mexicana − a redescoberta dos negativos da Guerra Civil Espanhola de Capa, Chim e Taro

guerra civil tituloVocê poderia imaginar que uma exposição chamada “A valise mexicana” fizesse referência à Guerra Civil Espanhola? É isso que você descobrirá ao visitar a exposição que ocorre na Caixa Cultural, em São Paulo (Praça da Sé, 111) de 23 de julho a 02 de outubro. Um impressionante legado de 1936 a 1939 deixado por três dos maiores fotógrafos de guerra: Robert Capa, Gerda Taro e David ‘Chim’ Seymour. Depois de haver passado pelos Estados Unidos, Espanha, França, México e Hungria, a exposição chega pela primeira vez à América do Sul.

Durante quase 70 anos, os 4.500 negativos desses grandes fotógrafos permaneceram desaparecidos, até que em 2007 chegaram ao International Center of Photography (ICP), Nova York, dispostos em três caixas vindas do México, as então denominadas valises mexicanas. Não se sabe ao certo o trajeto percorrido pelo material coletado por Capa, Taro e Chim, mas o mistério teve início quando o primeiro teve de abandoná-lo: as forças alemãs se aproximavam de Paris, e Capa temia ser preso como inimigo estrangeiro ou simpatizante comunista (Cynthia Young, 2016).

Além das fotos, o visitante pode ter acesso as matérias publicadas em revistas francesas e norte-americanas sobre a Guerra Civil Espanhola. Dispostas em gavetas que dialogam com as sequências dos negativos, estas constituem parte importante da mostra, pois permitem o contato com as interpretações estrangeiras acerca do conflito. guerra civil jornais

 

 

 

 

 

As fotos e o conflito

guerra civil_1Valência, maio de 1937. Após o ataque aéreo nacionalista, milhares de civis se dirigem ao necrotério da cidade em busca de informações sobre os familiares desaparecidos. O registro, feito pela jovem fotógrafa Gerda Taro, documenta não apenas os olhares aflitos “daqueles que haviam se tornado o principal alvo das forças inimigas” (Cynthia Young, 2016), como também um dos desdobramentos da Guerra Civil Espanhola.

Segundo o célebre historiador francês Pierre Vilar (1989), o conflito, compreendido entre julho de 1936 e março de 1939, foi “antes de mais nada uma conspiração militar” que posteriormente garantiu poderes políticos ao general Francisco Franco. Nesta época, a república e o presidencialismo eram a forma e o sistema de governo vigentes na Espanha, que agora estava fragmentada em duas vertentes ideológicas: de um lado “os servidores de Deus, defensores do capital e do Antigo Regime, do outro os inimigos de Deus e a organização da Revolução” (p. 24, A Guerra da Espanha, 1989).

A descrição de Vilar não é aleatória, pois o autor ainda reforça que na Espanha a Igreja sempre esteve ao lado dos poderosos. Era o símbolo de garantia das oligarquias e também do enquadramento ideológico e moral de Franco (p.79).

A fim de nos aproximar deste contexto, a exposição A Valise Mexicana: a redescoberta dos negativos da Guerra Civil Espanhola de Capa, Chim e Taro chega a São Paulo. Após 80 anos, as lentes dos três fotojornalistas de guerra nos apresentam a causa republicana e as consequências dos cruéis ataques nacionalistas. Naquele momento era necessário se posicionar contra o avanço das forças totalitaristas, assim como em defesa da reforma agrária e das artes.

guerra civil

 

Cabe ressaltar que o fio condutor do acervo parece residir para além da documentação de guerra e a expressão de uma causa. Ele se encontra justamente na sensibilidade: seja dos olhares dos civis ou do cotidiano nas trincheiras. Isto porque a faceta de cada fotógrafo é capaz de torná-la completa. Para a curadora Cynthia Young, “enquanto Capa e Taro procuraram fotografar as linhas de frente, Chim destaca o indivíduo fora da batalha, desde retratos formais de pessoas importantes até soldados em suas casas e camponeses trabalhando em cidades pequenas”.

 

 

Exposição A Valise Mexicana: a redescoberta dos negativos da Guerra Civil Espanhola Mexicana de Capa, Chim e Taro

ONDE: Caixa Cultural São Paulo (Praça da Sé, 111, próximo à estação do Metrô Sé).

QUANDO: até 2 de outubro de 2016, de terça-feira a domingo, das 9h às 19h.

QUANTO: Grátis.

Não recomendado para menores de 10 anos.

Maiores informações: (11) 3321-4400.

 

¡Buscar una definición puede ser divertido!

hispadic-diccionarios-habla-hispana-reunidos-L-aOAYYyHispanotip: Hispadic

Procurar a definição de uma palavra pode ser mais divertido! Através de Hispadic você pode acessar mais de 27 dicionários ou recursos terminológicos do espanhol. Basta introduzir o término a ser pesquisado no canto superior esquerdo da página web e escolher a ferramenta de seu interesse. Você pode navegar pelos distintos dicionários da RAE (Panhispánico de dudas, Americanismos), comparar os usos do vocábulo em veículos da imprensa (Uso en Prensa), explorar a conjugação de verbos (Onoma) e verificar se há alguma expressão popular que contemple o término de sua busca (Refranario). Este multibuscador de habla hispana abrange, além disso, o dicionário Forvo. E talvez aí esteja uma ótima novidade: incluir palavras pronunciadas por falantes nativos de espanhol.

Aproveite para descobrir distintos recursos e aperfeiçoar seus estudos de espanhol a partir de alguns cliques. Acesse: www. hispadic.com

 

Band chega a 25.a edição do DELE 

dele_2012No final de novembro, o Bandeirantes realizou a 25.a edição do DELE (Diploma de Español como Lengua Estranjera) no Colégio. O exame teve o maior número de inscritos desde que a prova é aplicada no Band, totalizando 196 alunos candidatos.

 

A prova segue o Quadro Comum Europeu de Referência para as línguas e se apresenta nos níveis A1, A2, B1, B2, C1 e C2, que vão desde o iniciante ao proficiente. Segundo Rosemeire da Silva, Coordenadora de Espanhol, devido a essa formatação do exame ao quadro comum europeu, ficaram mais claras as exigências de cada nível, o que provocou mudanças na grade de Espanhol para a adequação das séries a cada nível.

No Band, são aplicados o B1, B2 e C1, que são correspondentes ao intermediário, avançado e proficiência, respectivamente. A maior procura foi pelo nível B2, geralmente prestado por alunos da 1.a série que continuam o curso de Espanhol oferecido pelo Colégio desde o Ensino Fundamental, totalizando 112 inscritos. “Este ano, nós até tivemos que abrir uma turma a mais de avançado porque houve muito interesse. Os alunos já vêm com essa filosofia de que tem o DELE e que o diploma será importante para uma oportunidade internacional no futuro”, contou a Coordenadora.

Os outros níveis também tiveram alta demanda, completando 49 e 35 candidatos para o B1 e C1, respectivamente. Vale ressaltar que a prova de proficiência tem um nível de complexidade bem maior e o Bandeirantes é o único Colégio não-bilíngue que tem um número alto de alunos que deseja fazer o exame nesta etapa. “Já é uma prova de nível universitário e exige uma dedicação grande do estudante”, comentou Rosemeire.

Nos dois dias de prova, o Band recebeu 10 professores enviados pelo Instituto Cervantes para avaliar os alunos. “As avaliações externas mostram a qualidade do curso. Muitos examinadores elogiam a organização do Colégio e a excelência dos estudantes”, declarou Rose. “O Band acaba sendo um referência de centro de aplicação do DELE”, completou.

Durante todos os anos em que o Colégio realiza o exame, os resultados se mostram positivos: geralmente, a taxa de aprovação dos estudantes varia entre 85% e 90%, já tendo edições com 100% de alunos aptos para o diploma, em todos os níveis. “Alcançar esse nível de excelência é muito importante, a cada ano a gente fica mais feliz com os aprovados”, finalizou a professora.

Desde 2003, o Bandeirantes realiza as convocatórias de maio e novembro para o exame.

Quer saber mais? Confira a série de publicações que a Prof.a Rose fez na semana antes no exame no Blog do Band no Estadão, explicando todas as informações essenciais para a prova clicando aqui.